Back to Blog

VAMPIROS ESPACIAIS: DE COLIN WILSON A LOVECRAFT

VAMPIROS ESPACIAIS: DE COLIN WILSON A LOVECRAFT – Aquele momento que você se liga que Força Sinistra (LifeForce, 1985) é versão cinematográfica de um romance do autor britânico Colin Wilson. Tanto o livro quanto o filme vem com traços de vampiros espaciais Lovecraftianos e uma espaço nave que parece uma Pitaya espacial.

Colin Wilson foi um ocultista britânico que publicou bastante nos 60´s aos 80´s é o mesmo cara do existencialismo fenomenológico e ainda de outro clássico da SciFi chamado “Mind parasites” e de um livro que adoro chamado The Occult. Veremos influências do livro Vampiros Espaciais até nos recentes Principe Lestat e Príncipe Lestat e os Reinos de Atlântida, da grand dame Anne Rice. Repare nas descrições de Amel no final do primeiro livro citado e na questão do cerne sagrado. Há algo de Colin Wilson definitivamente ali. Anne não foi a primeira a associar vampiros e Lovecraft.

Claro que ninguém lembrará ou associará nada disso por conta da atriz Mathilda May no filme. Diabos! Ou melhor uma Succubus cósmica no melhor “aproache” do termo. É quase impossível não mencionarmos sua nudez o filme todo. O que de certa maneira afastou o filme de uma apreciação menos fisiológica.

Diante deste espírito subestimado, decidimos aproveitar o comecinho de 2023 que é mais tranquilo e falarmos dessa obra e suas ligações externas. Informo que o lance é mais rico do que se pensa. Talvez muitos aqui não tenham idade para lembrar-se do filme dada a época que ele alcançou o status de cult. Mas certamente irão apreciar este artigo.

VAMPIROS DO ESPAÇO

O livro “Vampiros do Espaço”, escrito por Colin Wilson, conta a história de alienígenas espaciais que são vampiros de energia. Eles se alimentam da “força vital” dos seres vivos através de um beijo mortal e também têm a habilidade de assumir o controle dos corpos hospedeiros de suas vítimas.

Embora os alienígenas inicialmente pareçam humanóides, eles são posteriormente mostrados como lulas e, finalmente, revelados como seres de energia insubstanciais de uma dimensão superior. A premissa da história foi fortemente influenciada pelo trabalho de HP Lovecraft e seu Cthulhu Mythos.

Alguns consideram os Vampiros do Espaço tão Lovecraftianos que eles são classificados como parte dos mitos de Cthulhu. No decorrer da história, os personagens descobrem que os alienígenas podem se transferir de um corpo para outro e que todos os humanos têm o potencial para o vampirismo de energia e transferência voluntária de energia em geral.

No final, representantes da raça original dos vampiros, os Nioth-Korghai, oferecem aos vampiros a chance de recuperar sua natureza original como seres de energia de dimensão superior. Eles aceitam, mas se destroem ao recuperar sua habilidade de se ver como se tornaram.

No epílogo do livro, ambientado quase um século depois, revela-se que o protagonista usou as técnicas aprendidas com os vampiros para viver para sempre e que o mundo agora é governado por seres imortais.

Não há referências diretas a vampiros espaciais nas obras originais de HP Lovecraft. Mas há referências nas expansões posteriores de outros autores através dos chamados Cthulhu Mythos. Neles existem uma variedade de seres sobrenaturais e monstruosos, incluindo deuses alienígenas, monstros marinhos, criaturas dimensionais e outros seres sobrenaturais. Muitas dessas criaturas têm habilidades sobrenaturais e podem ser consideradas perigosas para os humanos, mas elas não são vampiros no sentido tradicional da palavra.

A história dos Vampiros do Espaço, escrita por Colin Wilson, foi fortemente influenciada pelo trabalho de Lovecraft e incorporou elementos dos mitos de Cthulhu, mas os vampiros espaciais descritos na história são uma invenção de Wilson e não aparecem nas obras de Lovecraft.

Os Nioth-Korghai (o nome foi emprestado das obras de Clark Ashton Smith) são uma raça alienígena mencionada no livro “Vampiros do Espaço”, escrito por Colin Wilson. Eles são a raça original dos vampiros espaciais que aparecem na história. Os Nioth-Korghai são descritos como seres de energia insubstanciais de uma dimensão superior e são os criadores dos vampiros espaciais. No final da história, os Nioth-Korghai aparecem e oferecem aos vampiros espaciais, também conhecidos como Ubbo-Sathla, a chance de recuperar sua natureza original como seres de energia de dimensão superior. Eles aceitam a oferta, mas acabam se destruindo ao recuperar sua habilidade de se ver como se tornaram. Não há mais informações disponíveis sobre os Nioth-Korghai na história.

Não posso dizer com certeza se há outros tipos de vampiros na obra de Colin Wilson além dos Vampiros do Espaço mencionados no livro de mesmo nome. Colin Wilson é um autor de ficção científica e horror conhecido por seus trabalhos nos campos da filosofia, sociologia e psicologia. Ele é autor de mais de cem livros e sua obra abrange uma ampla variedade de assuntos, incluindo mistérios históricos, crimes não resolvidos, teoria da conspiração, teoria do caos e paranormalidade. Se você estiver interessado em descobrir mais sobre a obra de Colin Wilson, sugiro dar uma olhada em alguns de seus livros ou em resenhas e críticas de sua obra para ter uma ideia mais ampla de seu trabalho.

Uma obra interessante dele e que dialoga com o tema deste artigo é a “Mind Parasites” é um livro de horror escrito por Colin Wilson e publicado em 1967. A história segue o personagem principal, um escritor chamado Gregory Warden. Ele começa a acreditar que ele está sendo perseguido por seres sobrenaturais conhecidos como parasitas mentais. Esses seres são descritos como sendo capazes de controlar a mente das pessoas e influenciar seus comportamentos.

A medida que a história avança, Warden se envolve em uma batalha psicológica com os parasitas mentais e tenta descobrir uma maneira de se proteger deles e pará-los antes que eles destruam a humanidade. “Mind Parasites” é considerado um clássico da ficção científica e foi elogiado por sua abordagem única da temática do parasitismo mental e por sua análise profunda da natureza da realidade e da mente humana. Se você gosta de histórias de horror e ficção científica e está interessado em explorar a obra de Colin Wilson, “Mind Parasites” pode ser um ótimo lugar para começar.

Colin WIlson já abordou vampiros e vampirismo em seus outros livros?

Não posso dizer com certeza se Colin Wilson abordou vampiros e vampirismo em seus outros livros além do livro “Vampiros do Espaço”. Colin Wilson é um autor de ficção científica e horror conhecido por seus trabalhos nos campos da filosofia, sociologia e psicologia. Ele é autor de mais de cem livros e sua obra abrange uma ampla variedade de assuntos, incluindo mistérios históricos, crimes não resolvidos, teoria da conspiração, teoria do caos e paranormalidade.

Se você estiver interessado em descobrir mais sobre a obra de Colin Wilson e se ele abordou o tema de vampiros em outros livros, sugiro dar uma olhada em alguns de seus títulos ou em resenhas e críticas de sua obra para ter uma ideia mais ampla de seu trabalho.

E ONDE ACHAMOS MAIS SOBRE VAMPIROS ESPACIAIS NAS FONTES DO CHTULLU MYTHOS?

O excelente Blog Mundo Tentacular oferece bastante informação sobre os vampiros espaciais no artigo Sede de Sangue: Anatomia dos Vampiros Espaciais (consultado na criação deste artigo).

De lá destaco alguns pontos convergentes e interessantes sobre o tema no Chtully Mythos:

“De Vermis Mysteriis” é um livro fictício mencionado em diversas obras de horror e ficção científica e “Vampiros do Espaço” é um livro de ficção científica escrito por Colin Wilson. A obra “Vermin…” é mencionada em várias obras de HP Lovecraft e é considerado uma parte importante do Cthulhu Mythos, um conjunto de histórias de horror criado por Lovecraft e outros autores.

“Vampiros do Espaço”, por outro lado, é uma história original escrita por Colin Wilson e não está diretamente relacionada ao Cthulhu Mythos ou a “De Vermis Mysteriis”. Ainda assim os autores Daniel Harms e John Wisdom Gonce e a pesquisadora Rosemary Guiley descrevem os Vampiros do Espaço como sendo “inspirado” pelos mitos de Cthulhu.

No entanto, “Vampiros do Espaço” foi fortemente influenciado pelo trabalho de Lovecraft e incorporou alguns elementos dos mitos de Cthulhu. Um deles foi a ideia de íncubos que podem assumir o controle de corpos humanos. Alguns críticos também observaram paralelos entre os Vampiros do Espaço de Wilson e alguns dos seres sobrenaturais descritos em “De Vermis Mysteriis” e outras obras do Cthulhu Mythos. No entanto, essas duas obras são essencialmente independentes e não estão diretamente relacionadas.

Ludwig Prinn é um personagem fictício mencionado em “De Vermis Mysteriis”, um livro fictício mencionado em várias obras de horror e ficção científica. Ele é descrito como sendo um alquimista e mago do século 15. Autor de um livro chamado “Confessio Fraternitatis”, que é mencionado como sendo um precursor de “De Vermis Mysteriis”. “De Vermis Mysteriis” é descrito como sendo um grimório antigo que contém conhecimentos ocultos e informações sobre criaturas sobrenaturais e magia. Ludwig Prinn é geralmente descrito como sendo um personagem sombrio e sinistro que estava interessado em ocultismo e magia negra. No entanto, é importante lembrar que Ludwig Prinn é um personagem fictício e não uma pessoa real. “De Vermis Mysteriis” também é uma obra fictícia e não um livros real.

Os Manuscritos Pnakoticos são uma coleção de escritos mencionados no Mythos cósmico de H. P. Lovecraft. Eles foram copiados pelos cronistas abduzidos da Grande Raça. Uma civilização alienígena que teria existido muito antes da raça humana e que seria responsável por deixar os Manuscritos Pnakoticos como uma herança para os seres humanos. Os Manuscritos são mencionados em várias histórias de Lovecraft e são descritos como contendo conhecimentos profundos e secretos sobre o universo e os seres que nele habitam. São tomos muito valiosos e raros, e as pessoas que os possuem são vistas como tendo um conhecimento superior ao dos demais seres humanos. No entanto, também são descritos como sendo perigosos, pois o conhecimento contido pode ser usado para fins sombrios e ameaçar a estabilidade da realidade.

E QUANTO A VAMPIROS E EXTRATERRESTRES?

Acho interessante esta maneira de ver a vida. Embora, entre as estrelas, também seja uma maneira de falarmos daquilo que é do coração ou ainda da mente entre povos antigos. Exs. Linguagem dos pássaros, escutar o sussuro ou o fuxico dos que não respiram.

Ou ainda sobre mananciais e reservatórios de força e sabedoria que em vão tentamos diagramar em modelos e mandalas.

Fato é que nos velhos territórios da Romênia e da Hungria o termo usado para xamã, estrela cadentr, dragão e vampiro era exatamente o mesmo. O que dá muita coisa para pensarmos. Orbes voadoras na escuridão da noite eram associadas aos mesmos, desenvolvo o assunto aqui e adianto que ele pode oferecer um leve incômodo aos mais sensíveis.

Vampiros e Alienígenas é o tema de um outro artigo, uma reflexão na verdade que surgiu de uma entrevista com a Lucimara Parísi há alguns anos atrás. Neste outro artigo dialogo com outras fontes ficcionais e também da chamada Ufologia que traçam paralelos curiosos sobre vampiros e extraterrestres. E convido seu olhar e apreciação.

Facebook Comments

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back to Blog