Back to Blog
Como Virar Vampiro

Como virar vampiro

Como virar vampiro?

Como virar vampiro? É uma pergunta recorrente e até mesmo perene que recebemos em nossos E-mails e inclusive bastante realizada nas consultas dos mecanismos de busca.

Se quiséssemos mentir ou enrolar poderíamos oferecer uma receita ou a promessa de uma mordida encantada no pescoço das pessoas e até cobrar por isso. A considerar o tom passional e delirante de alguns pedidos que recebemos online seria uma boa fonte de receita. 

Mas não somos assim. Não somos desses.

Uma mordida pode ser encantada!

Não descartamos o fato de que uma boa mordida possa realmente mudar a vida de alguém. Lá na Índia há até mesmo um livro sagrado, parte do famoso Kama Sutra. É um país de costumes e de muitas religiões ancestrais com mais de 5000 anos, devem saber do que estão falando. Temos um artigo bem interessante a respeito da arte da mordida, bem aqui.

Como virar vampiro?

A pergunta continua presente nos dias de hoje.

A resposta mais frequente e correta para como virar vampiro é que ninguém vira vampiro ou vampira, é algo que simplesmente “se nasce assim!” 

A pessoa é desse jeito e pronto. 

Não é um personagem ou uma marca pessoal com uma “guideline”.

Não é um desvio de caráter nem uma patologia mental de nenhum tipo. Só o é para quem precisa que seja.

E menos ainda aquele papo de chakra defeituoso, espirito obsessor, encosto ou personalidade tóxica. Reencarnação de alguém maligno na outra vida. Só oportunistas e gente mal informada insiste nisso para lucrarem vendendo ritual, antídoto ou obras duvidosas. Inexiste vida inteligente se elegendo um inimigo, postar coisas mórbidas e oferecer curas para isso. Deixemos esses tolos.

Ser um Vamp é possuir uma têmpera, a natureza, o “Destino” de algo que transborda  naturalmente do âmago e do cerne de quem simplesmente nasceu Vampiro ou Vampira.

Não é algo que se aprende, se veste ou mesmo que basta só ouvir umas bandas e ir em certos lugares; decorar meia dúzia de frases de efeito e falar do seu senso crítico atrofiado em parâmetros que de crítico ou de originalidade não tem nada. É só fetiche de falar algo chocante e viver morbidinho ou morbidinha se escondendo do que lhe parece ser insolúvel e que não aguenta mais em você. Vampiros abraçam a insatisfação crônica e a sede que nada nascido pode aplacar.

Está lá.

Silencioso como a virtude, transborda da sua vida interior no seu jeito e nas suas escolhas, sufoca ou afoga energeticamente pessoas à sua volta mesmo sem você se dar conta. Dá uma luz diferente no seu olhar, uma aura negra e vastidão e jamais de cárcere de nenhum tipo. Não é toxidade e tampouco parasitismo ou ressentimento.

É um charme natural que abraça a angústia e a sede de alma e fome de espírito que vem dela. Tem uma curiosidade e um ânimo especial pelo desconhecido que é a vida.

Distante da arrogância ou das pessoas imersas em polarizações e ideias fixas ou convicções absolutas. É algo mais a respeito de se viver sob a luz do luar.

Vira vampiro, não requer marketing pessoal de nenhum tipo.

Não demanda crer em fetiches estranhos como o contínuo avanço moral da humanidade, por exemplo. Nem em besteiras como políticos de estimação ou marcas boazinhas que só querem o bem da (sua) humanidade (de laboratório). 

Virar vampiro dispensa se isolar em um gueto subcultural e se diluir no coletivo da agremiação que acredita enfrentar uma cultura dominante culpada de todos os males que também são praticados na moral, hábitos e costumes por você; dispensa de acreditar que uma classe social ou equivalente inimigo fidalgal não seja pessoas, dispensa de demonizar e condenar terceiros em nome da pretensa superioridade moral do seu lado.

Virar Vampiro, virar vampira não exige se justificar ou ficar dando explicação e jurar que tudo que você curte possa ser homogeneizado e uniformizado como algo de uma suposta cultura vampírica igual da cultura pop ou do folclore – só para brilhar no Tik Tok ou Youtube.

Fato é que algumas pessoas se questionam: será que sou um vampiro?

Será que sou uma vampira?

Eu aprecio os conteúdos da Rede Vampyrica e sinto muita atração por tudo isso. O que devo fazer?

A resposta é simples: Se inscreve em nosso canal do telegram para não perder as novidades. Venham aos nossos encontros. Venham aos nossos eventos. E experimentem estarem juntos de outras pessoas com o mesmo desejo. Certamente, entre elas encontrará os Vampiros e Vampiras. Vamps e o verdadeiro Vampirismo. O Vampirismo Real. O vampirismo da Vida Real.

Apreciem nossos livros, vídeos e podcasts. Participem também dos eventos onlines. Realizem nossos cursos

Ou simplesmente desfrutar gratuitamente de mais de 900 artigos publicados neste portal, 550 podcasts e bem mais de 500 vídeos produzidos sobre o tema aqui mesmo na redevampyrica.com – há 2 décadas somos a referência velada dos trabalhos acadêmicos, da mídia, dos eventos, das publicações e tudo mais que orbita o vampirismo no Brasil, América do Sul e Portugal.

Venham estudar no #CampusStrigoi onde temos uma plataforma exclusiva de videos e treinamentos na arte, magia, espiritualidade e no vampirismo real. Sendo a única instituição na América do Sul com 20 anos de  linhagem, a história e realmente vinculada a uma dinastia e uma comunidade que existe há quase 5 décadas no Hemisfério Norte. Espiritualidade, Mística, Magia, Fashionismo, Produção Cultural e muito mais.

Algo bem mais interessante do que ficar em grupos medíocres de redes sociais se alimentando de poeira e fragmentos sobre tudo isso. Prometendo o que não conseguem entregar porque sequer tem base ou experiência prática e real. Informação sem formação é bravata. É como procurar um cirurgião que nunca foi a uma universidade de medicina e alega ter aprendido tudo no youtube. E você merece mais do que isso, não é verdade?

Como virar vampiro? Não se vira e nem se transforma. Se nasce assim e é isso. Tem mais se você se interessou.

No entanto, se você nasceu assim pode viver isso junto de pessoas que também vivem isso, sonham e têm gostos convergentes e a sua vida noturna pode realmente se tornar incrível. Ao longo de mais de vinte anos testemunho essa transformação bem diante dos meus olhos. Alguns milhares de pessoas que estão na Comunidade Vamp também.

E então vem a outra pergunta: Existe vampiros no Brasil? Eu respondo no outro artigo.

Facebook Comments

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back to Blog