Back to Blog
Tuca Dracula I Love You

DRACULA I LOVE YOU (1974) UMA CANTORA BRASILEIRA CHAMADA TUCA

“DRACULA I LOVE YOU” (1974) UMA CANTORA BRASILEIRA CHAMADA TUCA: No começo muitos podem pensar que este seria o nome ideal para algum filme sobre Drácula dos anos setenta, talvez da Hammer Filmes ou de alguma outra produtora obscura. Mas não é. Eu acabei descobrindo esta preciosidade graças ao nobre amigo Alex Antunes (logo posto por aqui minha entrevista com ele no #AcessoRedeVamp).

Tudo começou com a indicação para a leitura deste artigo bastante completo sobre a trajetória de Tuca com a autoria do Gabriel Bernini (leia aqui). Fiquei impressionado com a história e fui pesquisar pela música dela e devo dizer que voz! E ao mesmo tempo fiquei estarrecido por nunca ter ouvido falar dela e deste álbum Dracula I Love You.

É claro que se tem a expressão Drácula no título e tem uma artista brasileira nós da Rede Vampyrica vamos lá conhecer e investigar um pouco. Melhor do que escrever muito sobre música é poder escutar e compartilhar com vocês – descobri este link no youtube que oferece a canção título Drácula I Love You:

Capa do álbum Dracula I Love You

O nome de batismo dela era Valenza Zagni da Silva, nascida na cidade de São Paulo em 17/10/1944. Formou-se em música erudita, em 1957, pelo Conservatório Paulista, começando a compor nesse mesmo ano. Fez parte do Grupo de Música Popular da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.

Em 1962 teve, pela primeira vez, uma canção de sua autoria registrada em disco, com a gravação de sua música “Homem de verdade”, pela cantora Ana Lúcia. Sua primeira apresentação profissional foi no programa “Primeira audição”, produzido por João Leão e Horácio Berlinck para a TV Record (SP). Participou, ainda na década de 1960 dos famosos festivais daquele tempo recheados de critica política e músicos fantásticos. Gravou com Geraldo Vandré, Nara Leão e ainda se auto exilou na bela París. Pesquisei um pouco da sua história no Dicionário da MPB.

SOBRE O ÁLBUM DRACULA I LOVE YOU

Pode ser que as sementes deste álbum tenham começado na bela Paris, toda boa história pode se iniciar assim. Teria acontecido numa exposição de arte chamada “Serie Fantasias” da artista plástica brasileira Jeannette Priolli. Representações de imagens inspiradas pelo xamanismo e desveladas sob os auspícios do signo de escorpião entre 23 de outubro e 13 de novembro de 1973. Nas telas figuras femininas obscuras e psicodélicas, o feminino deletério, não poderia ser melhor. Vocês podem conferir algumas imagens lá no artigo que inspirou este post. Tudo acontece na Galeria AAA.

E agora compartilhamos com vocês mais um conteúdo privilegiado da #RedeVamp gravado da nossa live diária #AcessoRedeVamp que vai ao ar de Segunda a Sexta na twitch.tv/redevamp sempre as 19h15.

Campus Strigoi
https://www.catarse.me/redevampVenha conhecer e apoiar o Campus Strigoi!



Procurando saber ainda mais sobre o álbum Dracula I Love You encontrei outro belo artigo no site Voz Ativa e compartilho alguns trechos com vocês – lembrando que vocês podem ler a matéria na íntegra lá, clicando aqui:

Ainda na França, Tuca começou a produzir as faixas do álbum “Drácula, I Love You”, que seria lançado no ano de 1974. A artista gravou algumas de suas composições no estúdio Chateau D’Hérouville. O disco contava com 9 canções autorais em português e uma faixa em francês. O LP “Drácula, I Love You” foi lançado pela gravadora Som Livre e marcou o retorno de Tuca ao Brasil.

Álbum “Drácula, I love you” que sofreu censura do governo militar.
Com este trabalho Tuca sentiu, pela primeira vez, a mão pesada da censura, que não aprovou algumas temáticas abordadas pela cantora trouxe neste trabalho. Os censores federais não focavam somente nas mensagens políticas que poderiam estar presentes nas letras. Havia uma preocupação com a manutenção de uma moral heteronormativa.

Enquanto lê nosso “post” aproveita e escuta o álbum Dracula I Love You na íntegra

E é neste ponto que algumas canções de “Drácula, I Love You” não passam no pente fino. Isso porque, Tuca, depois de ter vivido a liberdade sexual e a efervescência cultural de Paris, trouxe para seu cancioneiro o tema do amor homossexual. As canções barradas foram: “Drácula, I love You” (Tuca e Jeanette Prioli), “Pra você com amor” (Jeanette Prioli e Tuca) e “Sorvete” (Jeanette Prioli e Castro Neves).

Enfim, Tuca conseguiu a liberação das canções depois de ter recorrido no processo, alegando que as orquestrações presentes nas gravações dariam um tom mais sério às faixas.

Tuca faleceu em 8/5/1978 São Paulo, SP. A razão da morte é explicada no artigo do Gabriel Bernini, que recomendo a leitura no site Disconversa. Para nós da Comunidade Vamp a década de setenta é especialmente marcante. Tempos dos livros de Cassandra Rios e muitos outros artistas adoravelmente subversivos no Brasil. Há alguns anos atrás a banda Therion lançou Le Fleurs De Mal resgatando cantoras francesas que viveram finais trágicos e românticos em suas vidas… não deixo de imaginar que se o maestro Christopher Johnson tivesse escutado Dracula I Love You de Tuca não tivesse criado algo…

Oferecer acesso e visões com fontes privilegiadas e muitas vezes exclusivas é uma rica tradição da REDE VAMP desde seu início em 2003. Nesta entrevista vocês poderão conhecer um pouco mais dos nossos nobres convidados dentro de um bate-papo fora da curva sobre muitos temas apreciados por vocês. Oferecer estes conteúdos para vocês é um prazer! Mas se vocês tem sede de ainda mais ou mesmo de legendas e traduções em nossos novíssimos conteúdos, apoiem nosso Campus Strigoi!

EMPORIUM VAMP NO AR DESDE 2006

Facebook Comments

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Blog