Vampiros e Magic The Gathering: Contaremos todos os segredos neste conteúdo exclusivo!

Back to Blog
Vampiros e Magic The Gathering

Vampiros e Magic The Gathering: Contaremos todos os segredos neste conteúdo exclusivo!

Um texto de Hael Nightside com participação de Lord A

O artigo continua depois da publicidade

Apoie o Campus Strigoi e conquiste recompensas e privilégios exclusivos, clique no botão!
Vampiros e Magic The Gathering
Os Autores Lord A & Hael Nightside

Vampiros e Magic The Gathering: Contaremos todos os segredos neste conteúdo exclusivo! Neste artigo reunimos nosso leitor Hael Nightside, do Rio de Janeiro e apoiador do Campus Strigoi e nosso Lord A:. para uma jornada inesperada.


Vampiros e Magic The Gathering: Contaremos todos os segredos neste conteúdo exclusivo!

Vampiros E Magic The Gathering
A Misteriosa Innstrad

O Card Game Magic The Gathering é uma verdadeira febre desde os anos noventa. Ela é marcada por períodos de maior ou de menor visibilidade, mas inegavelmente sempre presente na vida de muitos de nós. Como tudo que já tem algumas décadas o universo de Magic recebeu diversas expansões e aprofundamentos e uma delas foi a chegada de Vampiros! Soube disso há bem pouco tempo e achei legal a novidade. Mas não sou alguém que conheçou ou poderia escrever algo legal e com propriedade. Até porque meu ultimo contato com este jogo foi pouco antes da primeira metade dos anos noventa. Depois me interessei mais pelo Jyhad e o Vampire Eternal Struggle, também produzidos pela Wizards of Coast justamente pela temática vamp. Guardo esses cardgames até hoje na minha coleção, há poucos anos atrás joguei o Nosferatu Card Game e conto a experiência aqui. Vampiros e Magic The Gathering: Contaremos todos os segredos neste conteúdo exclusivo!

Mas uma das benesses de viver reunido a uma ampla rede, uma comunidade de pessoas fantásticas e afins é rapidamente poder conhecer quem vive, quem tem uma história junto de um conteúdo que desejamos saber mais e poder convidar para contar um pouco disso para a gente. É mais ou menos como por alguns instanter poder ver a paisagem que conhecemos pelo olhar novo de outra pessoa. E a clara visão que tanto falamos tem ai uma de suas expressões.

Hoje meu convidado é o nobre amigo Hael Nightside, do Rio de Janeiro, ele arranjou um tempinho e juntos escrevemos este artigo “4 Hands”. Onde o apresentamos como um papo de amigos durante um encontro  imaginário em um dos muitos eventos da Rede Vamp.

Segredos sobre Magic The Gathering e Vampiros: Contaremos tudo neste conteúdo exclusivo:

Vampiros E Magic The Gathering
Vampiros E Magic The Gathering

HAEL: Vou falar um pouco da minha vivência no Magic the Gathering e dentro do universo dos vampiros que amo! O Magic the Gathering como Hobby, representa o momento onde através do desafio de enfrentar o desconhecido (adversário e seu deck), faço estratégias para driblar o acaso e conseguir a vitória, além de expressar a persona do competidor que há em mim.

LORD A: Nobre, conta um pouco mais para a gente, principalmente quem não é familiar com o Magic The Gathering, um pouco da história e desse universo ficcional!

HAEL: Para começar o Magic the Gathering, “MTG” ou mesmo “Encontro de Magos”, é um jogo de cartas colecionáveis (TCG, Trading Card Game) criado por Richard Garfield, no qual os jogadores se tornam um Planeswalker (um mago Planinauta que é capaz de viajar entre os planos) e utilizam um baralho de cartas (um grimório) construído de acordo com o seu modo individual de jogo (personalidade) para tentar vencer o baralho (grimório)do adversário.

Nesse jogo existe um universo enorme de planos e seres baseado nos elementos fundamentais da Magia (fogo, terra, ar, água , luz e trevas) dentro de cores no Magic que se dividem em 5 terrenos (vermelha, verde, Azul, Preto e branco), aqui já dá para entender a idéia proposta. Dentro da cor preta existe um plano chamado “Innistrad” , um plano sombrio de criaturas sobrenaturais baseado nos contos europeus de horror gótico, onde há uma história toda ligada á origem dos vampiros e famílias vampíricas, minha paixão, não preciso dizer mais nada! kkk.

LORD A: Então os Vampiros vivem nesse lugar chamado Innistrad! E ainda a atmosfera desse refúgio se inspira nos contos góticos e no ambiente dos poetas malditos… agora quero saber tudo!

HAEL: Vou te contar com base no que conheço e no que pesquisei no Blog mtgvortex:  Innistrad é um plano perigoso repleto de magia poderosa. Se você conseguir superar (ou dominar) o mal aqui, será recompensado e poderá mandar todos os horrores deste mundo para cima de quem se colocar no seu caminho. Aqui não se pondera sobre a existência do mal. Ele sempre esteve lá, e ninguém espera que isso mude. Vampiros, lobisomens, zumbis, espíritos, demônios: todos fazem parte da ordem natural das coisas. Os humanos sempre enfrentaram as forças das trevas e se viram acossados na batalha do bem contra o mal.

As criaturas horripilantes sempre existiram em Innistrad. Os humanos deste mundo sempre confiaram na própria fé como proteção contra vampiros, lobisomens, espíritos e carniçais. Mas ultimamente, os amuletos sagrados e as runas perderam sua força. A proteção dos sacrários dos viajantes e das orações campestres está diminuindo. As mágicas dos matadores de vampiros e dos caçadores de lobos não são mais garantia de proteção contra as criaturas que espreitam nas sombras. O Lunarca, líder da venerada Igreja de Avacyn, sabe o que os sacerdotes da aldeia sussurram: que o arcanjo Avacyn abandonou Innistrad.

o artigo continua depois da publicidade

Poucos sabem por que as preces à Avacyn não são mais atendidas, mas a consequência é óbvia não para todos – os métodos antigos já não têm a mesma força de antes. Com sua ausência inexplicada, o poder da influência de Avacyn se extingue, e o poder da classe perversa de Innistrad cresce. As famílias de vampiros aristocráticas caçam o sangue dos camponeses por diversão e para alimentar-se. Alcateias de lobisomens enfurecidos atacam caravanas e aldeias. Os geists deixam suas sepulturas para assombrar becos de paralelepípedos e antigos casarões. Os mortos malditos saciam sua fome implacável, instigados por uma magia proibida ou suturados pelas invenções de alquimistas insanos. Sem as amarras da magia de Avacyn, os horrores sobrenaturais do mundo encontram-se livres para aterrorizar a humanidade.

Com o renovação do perigo, as tradições estão passando por uma mudança nas quatro províncias do mundo conhecido. Os comerciantes stensianos fecham seus negócios ao anoitecer. Os viajantes evitam as baixadas repletas de sepulturas de Nefália e os bosques enevoados de Kessig. Tanto os sacerdotes das paróquias como os caçadores de lobos e os guerreiros sagrados conhecidos como cátaros carregam sempre consigo algo em prata. Até mesmo na província de Gavony, sede da Igreja de Avacyn, as sombras escondem cultos e conspiradores.

Mas mesmo assim, há quem combata as forças da noite. Armados com o conhecimento das vulnerabilidades de seus inimigos e a força residual de sua fé, os caçadores de demônios se aventuram pelos lugares assombrados do mundo. Os sacerdotes e os matadores especializados treinam para enfrentar demônios profanos a fim de proteger até mesmo as paróquias mais remotas. Para complicar as coisas, dois visitantes chegam a Innistrad com objetivos que vão mexer com os antigos segredos do plano. A planinauta Liliana Vess, a ambiciosa maga da morte, veio em busca de um demônio. Ela acredita que se puder matá-lo, estará a um passo de liberar-se do pacto infernal que fez e de retomar a posse de sua preciosa alma. Apesar de seu propósito egoísta, sua missão a levará diretamente ao centro dos mistérios de Innistrad. É assim que eles contam lá no Blog mtgvortex.

Vampiros E Magic The Gathering
Saiba sempre Primeiro!

Bem meu fascínio pelos vampiros dentro e fora do jogo ,me levou a procurar tudo sobre os vampiros de Magic the Gathering ou MTG (vou passar a usar esse termo para facilitar) e criar meu deck onde eu me tornaria o Planinauta Vampiro que através das artes sombrias conjuraria e criaria meus descendentes vampiros para vencer outros Planinautas. Aqui chego onde em Innistrad se localiza todos os vampiros e sua lore (como chamamos os enredos da história no MTG, todos os meus decks são baseados na Lore de um plano ou lugar no MTG, “e como se eu estivesse trazendo a história do cenário do jogo para o deck, dá mais prazer em casa partida kkk). O local é Stensia.

LORD A: Muito legal poder conhecer mais desse universo através do seu olhar meu nobre! Um plano mais sombrio chamado Innistrad  e lá existe STENSIA!

Stensia Vampiros E Magic The Gathering

HAEL: A província de Stensia é mais sombria de Innistrad, em todos os aspectos, mas também é a mais dramática, a mais antiga e a mais inexplorada. Seus vales se dividem entre pastos para o gado e pântanos sombrios, onde coníferas mortas afundam lentamente. Suas terras centrais são cobertas de florestas intercaladas com nevoeiros espessos, e exibem cores que vão do verde profundo ao púrpura e ao laranja acinzentado. Suas remotas montanhas azuladas e pretas desaparecem nas nuvens, e os humanos podem apenas imaginar os seres que habitam seus picos cobertos. O sol parece jamais romper as nuvens estranhamente coloridas de Stensia.

A classe governante de Stensia, as estirpes de vampiros, colhe os benefícios do isolamento da região. As montanhas da Cordilheira de Geier que dominam a província separam os vales uns dos outros, o que os torna mais fáceis de monitorar e controlar. Os sofridos humanos de Stensia são irracionalmente leais à sua cidade natal, mas na verdade, a maioria não tem muita opção, pois eles estão aprisionados pelos estreitos passos de montanha da província e pelas suas vidas inteiras dedicadas ao pastoreio.

Aristocráticos, cultos e hedonistas cruéis, os vampiros são a única civilização não humana de Innistrad. As quatro maiores estirpes de vampiros, ou famílias nobres, controlam casarões, cortes e castelos. Distribuídos por todo o plano, mas concentrados na província de Stensia, os vampiros caçam os humanos por diversão e para saciar sua sede sem fim pelo sangue dos vivos. Os vampiros possuem poucas vulnerabilidades, mas as estacas feitas de madeira viva, o reflexo da lua nos riachos e a água abençoada pelo anjo Avacyn podem lhe causar graves danos. Os vampiros possuem diversos poderes, que incluem voar, magias hipnóticas e transformação, embora suas habilidades particulares sejam muito variadas. Como não poderia deixar de ser me baseio no Blog mtgvortex.

LORD A: Ficou muito legal e bem apresentada a descrição macro deste universe sombrio, nobre amigo. Agora conta mais para a gente da sua relação e o envolvimento com os vampiros também no MTG!

HAEL: Cada plano no MTG tem seu Rei ou Lord e um Planeswalker que o representa, além de personagens principais ou que tem um papel importante na história, esses são as “criaturas lendárias no jogo” , aqui começa meus decks. Sabe, Lord  A. o que há de maisgostoso do Magic não é só jogar, é principalmente:

– fazer os decks;

– a construção de toda mecânica da estratégia no qual o deck vai rodar, guiado pela ideia histórica do lugar e criaturas;

– a análise de como fazer para quebrar qualquer tentativa de seu oponente, atrapalhar sua tática;

É interessante e fascinante todo esse processo, como falei nos primeiros parágrafos desse texto (pois, representa o momento, onde, através do desafio de enfrentar o desconhecido e fazer estratégias para triblar o acaso, alcançar as vitórias).

Então, para construção de meus 3 decks principais escolhi 3 personagens: Edgar Markov, Sorin Markov e Licia Tribuna Sanguinária.

Infelizmente, de um destes, eu não tenho a história, mas darei a história de 2 personagens, na qual a Licia tribuna Sanguinária faz parte.

Edgar Markov Vampiros E Magic The Gathering
Edgar Markov Vampiros E Magic The Gathering

LORD A: Opa vamos falar desses dois personagens então!
HAEL:
Começando com o “Senhor dos vampiros –  Edgar Markov”! Ele é o Progenitor de todos os vampiros em Innistrad e avô do planinauta Sorin Markov, ele é um alquimista que obteve os maiores avanços na arte da sanguinomancia e adquiriu a vida eterna atrás do consumo de fluído vital de seres vivos. Edgar ainda reside em Innistrad, mais especifícamente na Mansão Markov, onde prossegue seus estudos e lidera um clã de fiéis proles vampíricas.

Milhares de anos atrás, a fome estava varrendo a província de Stensia e o velho alquimista procurou uma solução. A resposta foi realizar a um ritual de sanguinomancia que faria com que algumas das pessoas pudessem adquirir a capacidade de se alimentarem de sangue. Era perigoso, mas proveria sustento para aquela demanda de comida, pois não se tratava de um abate da população em geral e sim de uma redução do número de bocas famintas para alimentar em prol do fim da fome de outras.

Tudo parece bastante simples, mas este conto arrepiante de Edgar Markov tem uma verdade ainda mais obscura por detrás dele. A fome era uma desculpa conveniente para o ritual, pois na verdade o alquimista estava experimentando novas formas de obter a imortalidade para si e para seu neto, Sorin. Um demônio chamado Shilgengar observava a ambição de Edgar e sussurrou segredos que lhe apontaram o caminho o experimento da alimentação de sangue. Shilgengar também ajudou o velho a superar as dúvidas que rondavam sua cabeça a respeito de realizar tal ato aparentemente desumano. Ainda assim, Edgar necessitava de um estímulo para dar início definitivamente ao ritual. E então, veio a Fome.

Não existe nenhuma prova concreta que esta fome que assolou toda a região foi obra de Shilgengar. De qualquer maneira, ela foi tão conveniente quanto avassaladora. Pessoas morriam todos os dias por falta de comida. Definitivamente, foi este o estopim para a gênese dos vampiros neste plano. Ao realizar sua experiência sangüínea, Edgar conseguiu encontrar uma maneira de estender a sua própria vida em troca da alimentação macabra. Assim, nasceriam os vampiros em Innistrad.

o artigo continua depois da publicidade

PRÓXIMOS EVENTOS DA REDE VAMP, RESERVE SEU LUGAR

Desejando fazer a mesma coisa com seu neto, Edgar untou Sorin com o mesmo sangue vampírico. Porém, durante o processo ritualístico, inesperadamente, Sorin desapareceu. Era a centelha de planinauta, que havia sido sido acendida. Sorin tornara-se um planinauta agora, mas ele também era o neto do progenitor da raça vampírica inteira. Como a linhagem Markov gerou todas as outras linhagens, Edgar continuou a ser o antepassado de prestígio de todos os vampiros e quando retornou para sua casa, Sorin foi aclamado como um verdadeiro rei. Ao longo dos séculos, como os vampiros se propagavam em regiões que antes apenas existiam humanos, o planinauta passou mais e mais tempo longe de sua terra natal, às vezes ficando anos desaparecido. No entanto, os vampiros tornaram-se desdenhoso da raça da qual eles haviam sido gerado e passaram a caçar os humanos mortais com mais ousadia. Sorin desprezava aquele comportamento e, por isso, tornou-se distante de sua própria espécie de vampiro.

Sorin Markov Vampiros E Magic The Gathering
Sorin Markov Vampiros E Magic The Gathering

LORD A: E agora é a vez do Sorin Markov
HAEL:
O segundo escolhido foi o filho de Edgar Markov, “o Vampiro Planeswalker Sorin Markov”

Muitas gerações de vidas mortais se passaram desde a última vez que Sorin Markov voltou ao mundo no qual nasceu. Ele passou séculos confuso perambulando pelo Multiverso, desfrutando de viagens que somente sua longevidade vampírica poderia proporcionar. Mas agora ele retorna para encontrar sua terra natal sendo destruída.

O desaparecimento de Avacyn não só deixou os seres humanos em perigo mortal, como também desfez um equilíbrio cuidadosamente construído entre a humanidade e as criaturas da noite. Sorin nunca esperou por paz e harmonia neste mundo sombrio, mas ele pensou que tinha arranjado uma espécie de justiça eficaz, um conjunto de medidas de segurança projetado para evitar que um lado da balança se incline demasiadamente. No entanto, o vampiro pródigo retorna para testemunhar os descendentes do seu sangue alimentando-se e matando seres humanos à vontade, matilhas de lobisomem predando os sacerdotes e os cátaros cujo poder deveria afastá-los, e ghouls montando um cerco nas paredes de Thraben. Velhas memórias ressurgem e o antigo vampiro desembainha sua espada sob a luz da lua sombria. Tudo isto não era para estar acontecendo. Não outra vez.

Séculos atrás, Innistrad enfrentou uma crise semelhante. Porém, com um único ato de magia, Sorin criou uma salvaguarda, um símbolo mobilizador que luta para manter o equilíbrio entre as forças monstruosas e os seres humanos. Ele assegurou que a maioria dos humanos teriam uma arma contra a maldição dos lobisomens e as assombrações do geists. Sua proteção garantia que os mortos-vivos não sobrecarregariam o mundo com destruição. Alguns diriam que ele traiu sua propria fraternidade vampírica, de modo que nunca conseguissem caçar humanos até sua completa extinção. Por outro lado, ele tembém pretendia garantir que os poderosos demônios também nunca se tornassem soberanos deste mundo.

Este símbolo de proteção que Sorin criou seria uma verdadeira arma contra a ameaça da escuridão eterna. Melhor do que isso, seria uma autoridade suprema que lutaria para auxiliar os humildes e para sustentar a vida em Innistrad. Tal criação fora chamada de Avacyn.

Avacyn Vampiros E Magic The Gathering
Avacyn Vampiros E Magic The Gathering

LORD A:  Me surpreendi bastante agora com essa parte sobre Avacyn, conte mais!
HAEL:
O vampiro Sorin Markov, um aristocrata egoísta que já foi cheio de privilégios como Senhor do Casarão Markov, criou Avacyn, o campeão angelical da humanidade e fonte de poder de proteção divina em Innistrad. Para entender tal ato, temos de aprender sobre um outro membro da família Markov, o avô de Sorin: Edgar Markov.

Milhares de anos atrás, antes de existirem vampiros em Innistrad, Edgar Markov foi um alquimista na terra que se tornaria a província de Stensia. A fome estava varrendo a região e o velho alquimista procurou uma solução que pudesse ajudar. A resposta foi realizar a um ritual de sangue que faria com que algumas das pessoas pudessem adquirir a capacidade de se alimentarem de sangue. Era perigoso, mas proveria sustento para aquela demanda de comida, pois não se tratava de um abate da população em geral e sim de uma redução do número de bocas famintas para alimentar em prol do fim da fome de outras.

Tudo parece bastante simples, mas este conto arrepiante de Edgar Markov tem uma verdade ainda mais obscura por detrás dele. A fome era uma desculpa conveniente para o ritual, pois na verdade o alquimista estava experimentando novas formas de obter a imortalidade para si e para seu neto, Sorin. Um demônio chamado Shilgengar observava a ambição de Edgar e sussurrou segredos que lhe apontaram o caminho o experimento da alimentação de sangue. Shilgengar também ajudou o velho a superar as dúvidas que rondavam sua cabeça a respeito de realizar tal ato aparentemente desumano. Ainda assim, Edgar necessitava de um estímulo para dar início definitivamente ao ritual. E então, veio a Fome.

Não existe nenhuma prova concreta que esta fome que assolou toda a região foi obra de Shilgengar. De qualquer maneira, ela foi avassaladora. Pessoas morriam todos os dias por falta de comida. Definitivamente, foi este o estopim para a gênese dos vampiros neste plano. Ao realizar sua experiência sangüínea, Edgar conseguiu encontrar uma maneira de estender a sua própria vida em troca da alimentação macabra. Assim, nasceriam os vampiros em Innistrad.

Vampiros e Magic The Gathering
Vampiros e Magic The Gathering

Desejando fazer a mesma coisa com seu neto, Edgar untou Sorin com o mesmo sangue vampírico. Porém, durante o processo ritualístico, inesperadamente, Sorin desapareceu. Era a centelha de planinauta, que havia sido sido acendida. Sorin tornara-se um planinauta agora, mas ele também era o neto do progenitor da raça vampírica inteira. Como a linhagem Markov gerou todas as outras linhagens, Edgar continuou a ser o antepassado de prestígio de todos os vampiros e quando retornou para sua casa, Sorin foi aclamado como um verdadeiro rei. Ao longo dos séculos, como os vampiros se propagavam em regiões que antes apenas existiam humanos, o planinauta passou mais e mais tempo longe de sua terra natal, às vezes ficando anos desaparecido. No entanto, os vampiros tornaram-se desdenhoso da raça da qual eles haviam sido gerado e passaram a caçar os humanos mortais com mais ousadia. Sorin desprezava aquele comportamento e, por isso, tornou-se distante de sua própria espécie de vampiro.

Entretanto, Sorin sempre vigiava Innistrad. De sua perspectiva zelosa, ele podia ver as mudanças no mundo. Ele notou que, à medida que os vampiros ganhavam poder, as aldeias humanas estavam diminuindo. Embora ele próprio não fosse mais humano, sua preocupação com os mortais era constante. A imortalidade e o estado de vampiresco criado pelo seu avô tinha trazido para a humanidade de seu mundo uma maldição, pois era evidente que com o tempo a humanidade seriam exterminada pelos bebedores de sangue. Dessa forma, o planinauta decidiu tomar emprestadas antigas crenças sobre a lua e vida após a morte para forjar um guerreiro que conseguisse conter os vampiros e outras forças monstruosas que extinguirão a vida em Innistrad. Ele criou um anjo batizado como Avacyn e encarregou-a de proteger aquele plano, de modo que a fé em torno dela criaria uma verdadeira proteção contra escuridão. Assim, a Igreja de Avacyn cresceu ao redor do poder que Sorin investiu nela.

Na verdade, a fé de Sorin era uma série de encantamentos e mágicas criados para proteger os humanos do plano. E seu trabalho teve sucesso. Ele deu aos humanos a vantagem necessária para darem a volta por cima e repovoarem o mundo. E por séculos a religião se desenvolveu e deu frutos, tornando-se mais profunda e complexa do que Sorin imaginara originalmente.

Ele sabia que não poderia permanecer em Innistrad para manter os encantamentos que a abrangiam. Assim, instituiu uma forma de “renovação” da magia em sua ausência. Sorin formulou um sistema de proteções e mágicas que, quando conjuradas repetidamente, fortaleciam a magia protetora geral da fé. Para encorajar os humanos a evocar as proteções e manter a força dos encantamentos, ele fez de Avacyn o foco da adoração e incorporou crenças a respeito da lua e da vida após a morte, já prevalentes no mundo.

o artigo continua depois do anuncio

Vox Vampyrica toda semana uma nova edição
Vox Vampyrica toda semana uma nova edição

É comum que Sorin suma de Innistrad por meses, até anos, de tempos em tempos. Os outros vampiros presumiram que ele fosse um eremita, um príncipe excêntrico e antissocial. No entanto, sem que seus semelhantes soubessem, ele estava viajando pelo Multiverso em busca de uma solução para a grave situação de seu plano natal. Após anos de pesquisa, Sorin retornou com um plano revolucionário, um plano que lhe faria um pária para os próprios vampiros salvos por ele, pois alguns dos vampiros compreenderam o ponto de vista de Sorin ao criar Avacyn, mas a maioria o apontou como um traidor. Edgar ainda vive na Mansão Markov e é um destes que discordaram de Sorin, inclusive a presença de seu neto não é bem-vinda naquela residência. Talvez esse seja um dos principais motivos que contribuíram para que o planinauta vampiro decidisse percorrer o Multiverso e não voltar tão cedo.

Entretanto, depois de longa ausência Sorin, é o desaparecimento de seu guardião angelical que o atraiu para casa novamente. Apesar de ter sido expulso da Mansão Markov, Sorin ainda carrega o título de “Lord” sempre que ele regressa para Innistrad. Estes dias, poucos reconhecem o seu direito, sobretudo por ele ser um Lord ausente, um outrora promissor aristocrata vampírico que passou para a memória de seus compatriotas como alguém cuja natureza de planinauta tornou-se mais importante do que seus deveres relacionados aos seus domínios.

Com exceção do dragão ancião Nicol Bolas, o vampiro Sorin Markov é um dos mais velhos de todos os planinautas. Seus múltiplos milênios lhe trouxeram desapego e muita confiança. Ao contrário de Bolas, Sorin não se interessa por ter mais poder ou controle. Ele se contenta em seguir seus caprichos, mesmo quando esses são cruéis ou mortais. Tendo visto centenas de planos ao longo de milhares de anos, ele se tornou uma espécie de bon vivant, sempre em busca de novidades e diversão. Mas apesar de sua natureza fundamentalmente hedonista, Sorin ainda tem preocupações mais constantes, e durante a sua longa vida essa tendência teve como resultado uma agenda secreta de compromissos e investidas em planos remotos. Como resultado, Sorin é um homem ocupado, viajando pelos planos com frequência com propósitos que somente ele conhece. Sorin parece ter sempre negócios a resolver em outro lugar.

Apesar do vampiro ancestral ter passado boa parte dos últimos milênios explorando o Multiverso, ele ainda se sente conectado à Innistrad. Não é exatamente a responsabilidade. Não é exatamente um senso de comunidade. Esses termos tendem a se tornar sem sentido a uma criatura milenar capaz de viajar à vontade entre os Planos de Existência. Mas quando ele vê o que Innistrad se tornou sem a presença de Avacyn, um sentimento que nasce no Sorin é semelhante a lamentação, que carrega junto uma semelhança familiar a algo que poderíamos chamar de dever. Este conflito interno gerou um sentimento de obrigação e é por isso que ele volta mais uma vez para visitar o mundo onde nasceu.

Sorin ainda é um vampiro e ainda seria considerado como um monstro para qualquer ser humano Innistrad. Ele ainda persegue seus próprios objetivos sem um cuidado para que as instituições efêmeras de qualquer mundo ou da sociedade. Quando ele está em sua terra, ele sente o peso da dor e do derramamento de sangue causado pela sua família, mas ele continua defendendo sua decisão de ajudar a humanidade. Sorin não tem medo de pegar em armas. Aliás, suas armas nesta batalha são aquelas que lhe agraciam desde milhares de anos atrás: uma aura de autoridade e posição, que ele usa para reunir vassalos e inspirar servidão; carisma irresistível, que ele usa para reforçar aqueles sob sua influência; e, o que é talvez sua arma mais potente, a capacidade de gerar novos servos vampiros, que muitas vezes é método preferido Sorin de lidar com seus inimigos. Como sempre, Lord A, minha fonte para essas histórias vem todas do Blog mtgvortex

 Licia, Tribuna Sanguinária, Vampiros E Magic The Gathering
Licia, Tribuna Sanguinária, Vampiros E Magic The Gathering

LORD A: Nobre amigo, enquanto editava nosso texto fui atrás da personagem que faltava neste nosso papo, a  Licia Tribuna Sanguinária! De fato achei pouca coisa sobre ela também. Mas compartilho o que encontrei, para contribuir com nosso belo colóquio: “Essa centúria é completamente desconhecida. Na verdade, nem sei se ela é de fato uma centúria, mas suas roupas me dão essa impressão. Não há conexão com plano algum, muito menos suposições ao seu plano de origem. Eu arriscaria que ela é de Fiora, devido à arte de fundo, mas também pode ser de algum lugar que ainda visitaremos. A única coisa que sabemos dela é que Licia é conhecida por ser implacável em batalha e por carregar uma espada manchada pelo sangue de suas incontáveis vítimas. Segundo os rumores, uma dessas vítimas que pereceram por suas mãos foi um anjo cuja pena ela carrega com pompa em seu elmo.” Segundo o blog LIga Magic e algumas outras fontes na internet.

Penso que talvez ela seja uma personagem que ainda não tenha ganho maior aprofundamento no “lore” mas achei sua imagem e descrição bem impactante! Mas conte um pouco mais dos seus decks para MTG e do processo criativo deles.

HAEL:
A partir da história que lhe contei, meus Decks foram criados nesse temática: Drenar vida, ganhar vida e ser agressivo , criando dificuldade para o adversário me ganhar, usando a idéia da imortalidade dos vampiros. Meus amigos quando jogam comigo não ficam muito satisfeitos, kkkkk, mas aí está a graça: mesmo que eu venha a perder (o Magic não é jogo só de vitórias, o acaso mora ao lado, muitas reviravoltas acontecem kkk) o gostoso é ver a cara de temor dos oponentes vendo suas vidas serem drenadas. “Muito Vampiro, não acha?! Kkkkk” O Magic é diversão garantida. E também ajuda na área da educação, pois nele estão contidas a matemática, interpretação de texto e a observação analítica de leitura da psiquê.Cálculos são extremamente necessários para a montagem do deck. Para maiores detalhes nessa questão “Escola e Magic” , conheça o podcast: “Rakdoscast” assunto Magic na Escola.

LORD A: Nobre Hael lhe agradeço demais pelo tempo e pela generosidade de compartilhar tanta coisa sobre o Magic The Gathering e os Vampiros, meu nobre amigo – e nos deixar ver um pouco disso tudo através do seu olhar e experiência. É uma visão dos vampiros e da magia bastante envolvente e criativa. Gratidão sempre!

campusstrigoi vem fazer parte
VEM APOIAR A REDE VAMP E GANHE RECOMPENSAS!


Facebook Comments

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Blog