Back to Blog

Dracula em novas aventuras literárias

O mês de maio foi marcado pelos festejos do World Dracula Day, celebração iniciada pelo próprio Dracre Stoker, descendente direto do célebre autor irlandês Bram Stoker. Na cidade de São Paulo participamos mais uma vez com um evento fantástico que ocorreu no sensacional ESCAPE HOTEL (falamos mais dele aqui neste link). Já são 120 anos da publicação desta grande obra que ganhou ainda mais força com o advento do cinema e assegurou um lugar inalcançável para o conde transilvanico no imaginário e na cultura pop mundial.

Inclusive o próprio historiador Arturo Branco no seu livro As Origens de Drácula conta que segundo o site norte americano IMDB o personagem é mais conhecido do que Jesus Cristo! Neste artigo escolhi 4 livros derivados da criação de Stoker sendo dois deles brasileiros e os outros dois estrangeiros que certamente irão agradar bastante vocês e que com toda certeza provam que Drácula está bem vivo no coração dos fãs – e nas páginas destes quatro livros indispensáveis. (Não esquece de visitar nossa livraria)

 

A VINGANÇA DE DRÁCULA

O romance escrito pelo brasileiro Davidson Abreu e lançado na Bienal do Livro de 2016 pela Madras Editora promete e ainda cumpre uma aventura sensacional com o grande vampiro retornando dos mortos e ambientado com maestria na atmosfera dos filmes da Universal e também da Hammer. Anos depois de sua derrota nas mãos de Harker e Van Helsing, o vampiro se ergue novamente graças aos seus aliados e coloca em ação um plano implacável de dominação ao continente europeu. Um dos trunfos de Davidson são o grau detalhado das estratégias e artimanhas utilizados pelo conde, fruto da ampla vivência do autor no campo tático e militar. O que mais gostei no livro é que ele ousa especular que tais planos foram apenas adiados por conta do envolvimento romântico com a jovem Mina Harker.

Ao longo da obra todos os fãs do Drácula cinematográfico encontram uma bela homenagem ao célebre ator Christopher Lee nos trejeitos, posturas e descrições do grandioso protagonista. Outro detalhes aprazível são os personagens secundários que homenageiam grandes ícones do cinema de terror e da literatura fantástica. Como o livro é baseado em muitos elementos surpresas e uma quantidade muito bem descrita de detalhes históricos fica chato desvelar muitas passagens bacanas pois estas serviriam como spoilers da trama. Então, no meu papel de autor deste artigo eu prefiro incentivar vocês a adquirirem o livro e se aventurarem em suas páginas. Eu me diverti bastante, é como visitar o castelo sombrio de velhos amigos. Um romance de tirar o fôlego!

 

A FILHA DE DRÁCULA

Se existe um nome na literatura de terror e do fantástico brasileiro que todo fã tem a obrigação de conhecer este é o de Rubens Francisco Lucchetti que desde os anos cinquenta assombra nosso imaginário com obras de tirar o fôlego. (Ele é o mestre do Fangstasia nacional, conheça sua obra e outros vampiros que há 170 anos assombram o nosso imaginário local) Não podemos esperar menos do que isso no seu novo lançamento “A FILHA DE DRÁCULA” do que um retorno aos tempos áureos das histórias de terror desenhadas no Brasil e nos fangstasias (termo que designa literatura vamp) desenvolvidos por ele até os dias de hoje. Um tom cinematográfico como os dos filmes de Jean Rollin podem ser degustados em cada uma de suas páginas. Isso sem mencionarmos as inspirações e influências nas trilhas sonoras lapidadas e impregnadas nas sentenças de suas páginas, ilustrando o destino de Irina, filha do conde amaldiçoado.

Drácula! Nome que apavora e faz tremer, desde o mais incrédulo e destemido mortal até a indefesa virgem… fonte preferida para saciar sua sede de transformar-se em lobo, rato e poeira. Mas a metamorfose em morcego é a mais perigosa para as suas vítimas. É quase indestrutível. Sua existência é contada ao longo dos séculos, em suas peregrinações por aldeias nevoentas na longínqua Transilvânia. Em sua eterna vigília, ele espreita a humanidade, disposto a destruir o Bem. Ele é o Príncipe das Trevas, o filho do Demônio. É a própria encarnação das forças do Mal ocultas no ser humano. Ele é a essência do Pecado! É o próprio Anticristo! Agora, vocês irão conhecer sua filha!

 

OS PODERES DA ESCURIDÃO

Imagine uma releitura do célebre romance Drácula de Bram Stocker, autorizada por ele mesmo apenas 3 anos depois do lançamento. A afirmação parece um pouco exagerada mas é exatamente o que encontraremos no livro “Poderes das Escuridão” (o título original é Makt Myrkranna, de 1901) – uma versão norueguesa do célebre vampiro. Escrito por Valdimar Asmundsson era inicialmente uma tradução de Dracula e contou com o prefácio do próprio Stocker! Sabe aquelas obras de arte que passam mais de um século ocultas? Makt Myrkranna só circulou na própria Noruega e arredores e passou batida para o resto do mundo até mais ou menos 1986, quando os acadêmicos a descobriram e ficaram estarrecidos com o prefácio de Bram Stoker!

A obra “Poderes das Escuridão” não é apenas uma tradução para o norueguês é uma obra gêmea com uma versão completamente nova de Dracula de Bram Stocker. Novos personagens, destinos diferentes para personagens célebres e um roteiro mais visceral, mais erótico e sensual e de um suspense ainda maior. Sua elegância é comparada com a de Sheridan Le Fanu, na sua obra seminal “Carmilla”.

A primeira tradução para o inglês da obra “Poderes da Escuridão” surgiu apenas em 2014 graças ao trabalho do pesquisador literário Hans de Roos – um dos maiores especialistas da obra de Stocker e autor de Ultimate Dracula. Aliás as notas de rodapé do pesquisador concedem um tom ainda mais fascinante ao contexto histórico, cultural e literário. O prefácio é de Dacre Stoker (vocês já o conhecem do World Dracula Day e também deste outro artigo) ele é sobrinho bisneto do autor de Drácula. O posfácio é de John Edgar Browning. A obra tem o potencial de agradar fãs de romances góticos, horror e da literatura vampiríca.

Alguns dos destaques deste livro ficam por conta do tom erótico mais direto tanto do advogado Harker em relação a uma das vampiras do castelo, quanto as do próprio conde perante suas noivas e presas. Outro ponto interessante é que o Conde deixa a Transilvânia não apenas buscando por uma amada imortal, mas por ter esgotado as zonas de caça de sua velha terra e ambicionando conquistas políticas e territoriais – dominando os vivos através da magia e sacrifícios bem cruéis. Aspectos que antecederam o que veríamos surgir no cinema cerca de seis décadas depois. Aqui o Conde Drácula é verdadeiramente uma ameaça para toda a humanidade.

 

DRÁCULA O MORTO VIVO

Este livro consiste na sequência oficial do célebre romance Drácula do escritor irlandês Bram Stocker de 1897, foi escrito por seu sobrinho-bisneto Dacre Stoker (você já o conhece do World Dracula Day e deste outro artigo no Rede Vamp) e o historiador Ian Holt, publicado em 2009 despertou um verdadeiro furor editorial no mundo todo – no Brasil o autor inclusive participou de uma animada videoconferência na Bienal do Livro que abriu as portas durante o Dia dos Vampiros daquele ano. (Aliás conheça o Dia dos Vampiros)

A história é ambientada em 1912 incluindo novos personagens como Jack o Estripador, o próprio Bram Stocker e o novo protagonista que é Quincey Harker (filho de Jonatham e Mina, do livro original) agora envolvido com uma tempestuosa montagem teatral do próprio romance Dracula. A jornada irá o conduzir rumo aos segredos perigosos do passado dos seus pais. A obra também marca o retorno de personagens originais como o Doutor Seward (antigo protegido de Van Helsing) agora debilitado pelo vício em morfina. A trama começa a pegar fogo quando Quincey encontra seu pai empalado em Picadilly Circus. O livro retêm o clima vitoriano original com a história sendo contada através de diferentes pontos de vista expressos nas suas correspondências e diários de viagem. Muito deste conteúdo vem de anotações deixadas pelo próprio Bram Stoker e aproveitadas com sabedoria por Dacre e Ian. A ideia da obra veio do historiador e parceiro Ian Holt, inicialmente Dacre se viu um  tanto quanto cético em abraçar um projeto de tamanha dimensão e expressão no imaginário e na cultura pop. Ambos brincaram que o material legado por Bram era tão rico que foi como se ele fosse o terceiro autor do romance. Procuramos devolver a dignidade da obra original, sim é o retorno do verdadeiro Drácula. Já existem especulações de uma vindoura adaptação cinematográfica deste livro no IMDB.

O ano de 2009 foi extremamente promissor no mercado literário vampiresco pois marcou o lançamento da trilogia da escuridão de Benício Del Toro e Chuck Hogan (adaptada como o seriado The Strain) e ainda a saga iniciada pelo romance “A Passagem” de Justin Cronin que também está sendo adaptada para o mercado dos seriados. A série True Blood também experimentou seu ponto mais alto durante a segunda temporada na HBO, uma adaptação da saga The Southern Vampire Mysteries de Charlaine Harris. No mesmo ano o canal Warner estreou a primeira temporada de The Vampire Diaries com evidente sucesso, outra adaptação da saga homônima dos livros. Não é impossível imaginar a adaptação deste livro para o cinema.

Facebook Comments

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Blog