Pactos e Rituais para se tornar Vampiro ou Vampira

Back to Blog

Pactos e Rituais para se tornar Vampiro ou Vampira

Então procura um pacto ou um ritual para se tornar um vampiro ou vampira?[space height=”30″ ]

Na internet existem dezenas de ritos e de pactos que oferecem e entregam como se tornar um vampiro ou vampira, você não acha que o mundo seria muito melhor se a maior parte deles ao menos soubesse o que é um VAMP?

Vieste ao lugar certo… contaremos aqui tudo aquilo que nunca respondemos nos mais de 197 e-mails e mensagens de redes sociais que nunca respondemos sobre isso ao longo destes últimos 14 anos de atividade da REDE VAMP!

Sabemos que não há mito sem rito e nem rito sem mito. Histórias da carochinha ou joguetes despropositados não nos interessam. Poderíamos compartilhar aqui incontáveis formulações, ladainhas, ritualísticas e barganhas de todos os tipos e espiritualidades que já vimos só nos últimos 14 anos de atividade da REDE VAMP (e não foram poucas). Mas nenhuma delas toca no ponto mais importante:

“O poder conquistado é e sempre será superior ao tal do poder implorado, mendigado ou dado por terceiros que vemos em todos esses ritos de internet e livrecos que prometem o que não podem cumprir.O que é dado pode ser tomado de volta.”

E nem falo isso para cortar o barato ou por soberba de nenhum tipo. As melhores magias e ritos independem de outras pessoas ou de qualquer entidade lhe autorizar viver a vida que você constrói (e determina) para si a cada instante e que lhe deveria o satisfazer em todos os sentidos.

[space height=”20″ ]

Mas hoje iremos desvelar pelo menos alguns destes segredos que certas pessoas esperaram muito tempo.

[space height=”10″ ]

Rituais Vampíricos exercem um fetiche e uma inegável atração no imaginário das pessoas e normalmente são espelhos das próprias neuroses e obsessões delas; já a Cosmovisão Vampyrica é algo mais e difícil de ser situado em palavras.

Para um VAMP o mais importante e principal  de todos os pactos, ritos e transformações que verdadeiramente funcionam são aqueles que o torna quem realmente almeja serna vida pessoal, afetiva, social, estudantil, profissional e espiritual. Assumir um relacionamento, trabalhar, estudar e frequentar lugares que aprecia e onde sente-se bem. Comprar ou alugar sua própria moradia, criar artesanato, visuais, artes e músicas; conquistar um trabalho que aprecie; vestibulares como acesso um curso e área profissional que lhe é afim são alguns desses muitos ritos cotidianos – tudo que lhe é transparente perante seus objetivos de vida se enquadram neste quesito. Encerrar ou terminar relacionamentos ou estadias em ambientes ou com ambientes tóxicos para si também são outros ritos importantes no que falamos aqui. Determinar sobre o que lhe determina, desvestir hábitos que lhe afastam do seu intento também são ritos importantes para um Vamp. Transmutar afetos, ideias e sentimentos que traz no seu ponto de vista e também paradigmas para oitavas mais elevadas ou graves de acordo a funcionalidade e o aprendizado na vida também é outro rito importante.

Isso não torna ninguém insensível, mecânico e preciso como um autômato ou inseto hiper especializado de algum gueto ideológico e dogmático “sub culturoso“. Isso não lhe torna um rei ou rainha do drama arremessando como um primata seus excrementos por toda parte para marcar território. E menos ainda um maníaco polo drenador de atenções de todos os tipos (conhecido como mala sem alça, invejoso ou invejosa, encosto e afins) ou como vampiro psíquico ou psy vamp de nenhum tipo. Tampouco pessoas que se precisam se imaginar mais alguma coisa do que outras – desde as mais humildes entre as humildes que assim pagam de  bedéis, zelosos de alguma causa social para educar e proteger alguma coisa, o que apenas mascara o próprio rancor, dissabor, melindre e ressentimento – bem como o desejo de agredirem livremente, fazendo uso até de pessoas debilitadas e incapacitadas – todos que não se submetem aos seus mandos e desmandos.

Aliás só o fato de alguém procurar ou sentir que precisa de um pacto, um rito ou alguém que o autorize ou transforme para viver o que pertence a si levanta evidentes suspeitas de ineficiência no buscador.

[space height=”10″ ]

Ritos de espreita, de caçar, de transmutar, estocar ou partilhar o “Sangue” elencam e integram uma ampla gama de possibilidades espirituais que ocorrem em diversas outras espiritualidades e religiões – mas entre os VAMPS ganham um ar de proibido e de charme únicos…

Isso é diferente de alguém que sente atração ou curiosidade e tenta saber mais, se informar e conhecer pessoas que vivam aquilo que admira. E já adiantamos que isso apenas pode ser vivenciado fora da internet. Se você quer aprender ou apenas conhecer mais por gostar disso tudo que somos, estamos ou fazemos aqui, leia isto é uma espécie de primeiro contato ou visita ao nosso universo. Se aquilo que busca é viver um personagem, leia estes outros artigos. Se o que busca é mais estético ou filosófico, aqui encontrará muito conteúdo. Note que temas como despertar ou iniciação estão bem além disso tudo que abordamos neste parágrafo, só farão sentido se você vive com plenitude e transparência sua própria têmpera, jeitão ou destino – a tal da própria vida como você já deveria estar vivendo, disso falamos aqui!

Desnecessário pontuar que tal processo tanto no fashionismo quanto na cosmovisão o tornará algo bem diferente do que temos na cultura pop ou na dita sabedoria popular ligada aos VAMPS

[space height=”10″ ]

 

Se estiver no seu destino (têmpera, jeitão ou determinantes) irá perceber que aquilo a se tornar desvela algo perene e que está aí desde que o mundo é mundo (assim como o xamanismo, que se encontra na base de toda e qualquer espiritualidade sólida de todos os tempos). Notará que a multiplicidade de nomes, tipos e espécies que os exegetas católicos pautaram como Vamps nada mais são do que caricaturas e fórmulas seculares inventadas por terceiros que comprovadamente nunca trilharam nossa “via”. Enquanto expressão artística, folclore ou cultural em nada nos afeta, até curtimos as mais elaboradas e criativas. Só que a partir do momento que isso meio que viola o espaço e o limite de terceiros aí o assunto muda de figura.

Vamos então falar do básico a quem se interessa por ritos, pactos e outras armadilhas semânticas que se colocam na vida

O que escrevo e partilho a seguir (de todo meu coração) é coisa de alguém que há mais de duas décadas testemunhou incontáveis histórias, que sabe do que fala e deixa uns toques e dicas práticas. Também é um empurrãozinho para quem quiser sair voando por aí por sua conta e risco, o melhor aprendizado do mundo. E se por ventura quebrarem a cara irremediavelmente a única coisa que poderemos lamentar foi a falta de bom senso e de justa medida de cada um.

Lá no fundo, todos que praticam tal “via” com seriedade e resultado sabem (independente do tempo) que para chegar lá tiveram que silenciar ou aprender a conviver com muitos fantasmas e espíritos famintos que rondam o âmago do ser.

Lá no teu cerne você também sabe isso e o que digo aqui não é e tampouco deveria ser alguma novidade. O que podemos acrescentar a partir deste ponto? Ah sim eu prometi alguns segredos…

[space height=”10″ ]

Mas eu prometi algumas dicas e uns toques, antes de alguém se meter a ritos e pactos vamps por aí, vamos a eles:
[space height=”10″ ]

  • Se você desconhece seu próprio pantáculo sagrado, não tente; vá atrás disso primeiro!
    [space height=”10″ ]
  • Se você não sabe escrever nem o seu nome em runas, desista;
    [space height=”10″ ]
  • Se você não tem um motto ou nome noturno, desconhece o que é isso; pesquise e compreenda!
    [space height=”10″ ]
  • Se não souber meditar apropriadamente, vá aprender!
    [space height=”10″ ]
  • Se não souber realizar exercícios basais de Pranayama (controle de respiração) nos horários apropriados, vá aprender!
    [space height=”10″ ]
  • Tem que conhecer um pouco de Asanas (posturas meditativas) , escolas de Yoga existem por aí, vá atrás![space height=”10″ ]
  • É melhor aprender sobre Dharana (controle do próprio pensamento),  é razoavelmente fácil encontrar uma escola de Yoga hoje em dia. Se não fosse importante, não falaria aqui![space height=”10″ ]
  • Se puder, aprenda Tai Chi Chuan e vivencie sua lida com o poder telúrico.[space height=”10″ ]
  • Vá atrás de um mapa astrológico com base em Kabbalah Hermética (evite toda aquela baboseira de horóscopo de jornal e de internet) saiba seus prós, suas falhas, aquilo que carrega, o que importa de verdade e o que é opcional na sua vida! Saber para onde aponta sua Caputi Draconis e os Nodos Lunares, faz toda diferença na hora da prática, aprenda mais aqui[space height=”10″ ]
  • Aprenda ao menos algumas noções e operações básicas de Tarot (desprovidas de superstição) para que isso possa lhe oferecer perspectivas e pontos de vista que lhe tirem de armadilhas e sinucas de bico – que virão quando a parte magicka e espiritual disso tudo se desvelar perante você.[space height=”10″ ]
  • Saber como Evocar, invocar, banir, armas mágickas, abençoar, amaldiçoar, processo extático, bioenergética, anatomia oculta, noções de hermetismo e afins lhe serão práticas úteis;[space height=”10″ ]
  • Experimente tudo isso de maneira não-ascética de nenhum tipo.[space height=”10″ ]
  • Tudo isto oferece mapas e representações para ao menos ter uma visão geral da floresta simbólica e do selvagem jardim onde caminha. Se você tem certeza que é só besteira o que leu até agora, vá lá e mostre como é que se faz! O problema é seu e não meu! Mas se vier nos procurar em caso de acerto ou de falha, sabemos diferenciar um sucesso temporário, uma sorte de iniciante, e principalmente reconhecer quem leu (ou ouviu falar) sobre a vivência de outros e que tenta contar como se fosse a sua também. Não adianta encenar bem, nem politizar, problematizar ou fazer drama. O resultado e as consequências são inteiramente e exclusivamente suas.[space height=”10″ ]

[space height=”20″ ]

Os encapuzados descendem de uma tradição britânica associada aos seres feéricos e posteriormente ligada a Vamps e outros ritualistas

Outro ponto importante se certifique de não possuir nenhum transtorno psicológico ou depressão de nenhum tipo antes de se aventurar com tudo isso. Se realiza algum tipo de acompanhamento psicológico ou psiquiátrico sugerimos que evite nossa via de cosmovisão (principalmente havendo o uso de medicamentos, já vimos os estragos que isso causam em meios políticos e até sociais da noite paulista – e como certas pessoas com problemas são usadas por alguns oportunistas). A magia apenas lhe entrega mais e mais daquilo que você já carrega e desenvolve em si e não do que espera ou acha que poderia vir a ser ou ainda ter no seu destino (tempera, jeitão e etcs). Outro detalhe você deveria ser maior de idade pelo menos e este é um requisito básico para fazer parte dos nossos treinamentos e aprendizados no Círculo Strigoi. Mas isso todo mundo já sabia e seria desnecessário sequer mencionar.

Aprender e desenvolver todos os itens enumerados acima, ocupará alguns meses ou um tempo maior do que o esperado. A maioria irá tombar logo no começo e largar mão o que é uma benção pelo menos para a gente no final das contas. Provavelmente irão engrossar o coro dos que acham que nada disso existe e praticam o vulgar ateísmo seletivo e acabam rumando para alguma expressão religiosa mais fanática e agressiva. Alguns irão durar um pouco mais, se contentarão com apenas meia dúzia de coisas e agirão como bedéis a instruírem que ninguém deve se meter com nada disso e esbanjando jargão e papo furado. Serão donos e proprietários de algumas verdades, o que inevitavelmente já ilustra o grau de despreparo e a própria falha perante nossa via. Provavelmente formarão mais sub nichos, subculturas e guetos culturais hiper especializados temerários com a popularidade de qualquer coisa que contrarie seu parvo recorte em geral politizado e bi polarizado enfrentando inimigos imaginários da própria sociedade que faz parte como todo mundo.

[space height=”10″ ]

Aqueles e aquelas que me interessam e nomeio como hábeis estarão bem além disso tudo, perceberão que com 10 ou 20 frases, certas correspondências e alguns símbolos muito específicos, certas vivências e alguma empatia podem transcender este selvagem jardim alçando esferas mais refinadas da vida e da morte, do fogo e do gelo – podem determinar o que lhes determina. Para estes pode ser que aqui seja seu lugar antes da próxima estância ou estação.

[space height=”10″ ]

No imaginário a figura feminina e o altar vivo é sempre um tema recorrente, na Cosmovisão Vampyrica é visto como algo que só ocorre no cinema.

Determinar aquilo que lhe determina, descobrir a escolha mais plena – além de qualquer automatismo (dogmas, crenças, ideologias, partidarismos e afins) faz a alma se elevar acima de todo e qualquer imediatismo vulgar, desfaz a intolerância (que mascara a impotência expressa no rancor, dissabor, melindre e recalque) e politicamente correto (opressão e escravidão disfarçada de humildade). Há ainda outros milhares de parasitismos cotidianos e falamos deles por aqui e eles deveriam ser considerados, interferem na sua saúde, no seu bolso, na vida afetiva, social e profissional. Influenciam todo tipo de pessoa que está a sua volta neste momento e se você não vive algo que no mínimo faz se sentir pleno e com poder neste exato instante – é um evidente sinal que você não domina esta arte, tampouco este ofício e sua vivência nesta trilha é rudimentar. Então os toques dados anteriormente neste artigo são exatamente para você.

Determinar o que lhe determina é a melhor esperança de liberdade que alguém pode almejar. Quanto custa em vitalidade para você, para as pessoas e o ambiente ao seu redor ser determinado pelo que lhe determina nas suas escolhas de vida neste momento? Vale mesmo a pena e é bom para todos não apenas para você? Quando voltar para onde mora (sozinho, com amigos ou com a família) tudo que faz não será apenas uma máscara ou desculpa para ter ficado longe por algum tempo da própria vida? Abriu o olho quando acorda e quer mais e mais da sua vida como é bem agora, mesmo que apenas enrolando só mais um pouquinho no cochilo? Quando volta para casa mesmo descontente, insatisfeito ou com sede de mais, ainda vale a pena mais um pouco de tudo isso? Aí estão suas respostas mais importantes.

[space height=”10″ ]

Não haverá rito, pacto ou poder capaz de lhe transformar em algo que já não esteja em você e na sua vida.

[space height=”10″ ]

Inexiste rito, pacto ou poder capaz de lhe prover sentido e orientação enquanto não achar seu próprio eixo dentre tantos fantasmas famintos, transitórios e ilusórios que o rodeiam.

[space height=”10″ ]

Não há poder, rito ou pacto que possa lhe fazer viver aquilo que não estruturou para viver tampouco lhe dar algo diferente daquilo para o qual direcionou ou rumou com suas escolhas de vida. E se por ventura lhe der ou entregar irá tomar novamente para si quando quiser e você nada poderá fazer a respeito, afinal nunca existiu almoço grátis.

[space height=”10″ ]

Mas ainda assim depois disso tudo você quer mais? Qual o segredo, afinal? Conte o segredo, Lord A:., o mistério e o que há por detrás de tudo isso, eu conto: Aprenda a reconhecer o Príncipe da Escuridão (ou seja sua própria refulgência estelar que determina e é determinada seus princípios, alcances e fins), A sua Musa (que lhe inspira e o potencializa,  daqueles fantasmas famintos que espreitam e apenas querem sua atenção e vitalidade) e o Dragão (a potência a ser direcionada, modelada e cavalgada rumo a cristalização do teu intento); saber onde está o teu próprio signo solar e sua expressão, aonde está a lua e o ascendente, bem como seus graus seria a forma menos glamourosa e mais prática de explicar tal fundamento – e depois de você ler este artigo por inteiro, seria injusto não oferecer um caminho inicial.

Este Artigo é um grande “ClickBait” do Bem, criado para inspirar, influenciar e ramificar ideias e práticas mais importantes e úteis para todos interessados e interessadas
neste contexto.

Facebook Comments

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Blog