Back to Blog

OUTLAST 2

Digam “oi” pra Marta. Sim, isso é uma picareta gigante.

Desenvolvido e distribuído pela Red Barrels, Outlast revolucionou o gênero terror em 2013 e o mais impressionante, é um título indie. Os gráficos são bonitos, a trilha sonora envolvente, mas de longe o ponto forte é a ambientação e o enredo, mas este vocês já conhecem bem, vamos falar do atual…

 

Não te lembra “Olhos famintos” ou aqueles filmes com espantalhos?

Outlast 2 segue a mesma fórmula do 1, uma ambientação muito boa e envolvente, mas existem novidades. Agora a câmera, além das funções do primeiro como visão noturna e zoom ela agora possui um microfone que te permite captar sons distantes e inclusive perceber inimigos ao redor. É importante ressaltar que dessa vez os documentos encontrados pelo cenário (e que te ajudam a entender a história do game) agora são “obrigatórios”. Como assim? Agora existe um menu só para os documentos e filmagens (sim, são momentos únicos em que você deve captar com a câmera e um rodinha vai carregar, você pode perder esses momentos, então fique esperto), você pode rever as filmagens e Blake (o protagonista) fará um comentário, lembrando que no momento da filmagem ele já faz um comentário e ambos são interessantes. Alguns diálogos são únicos e podem ser captados com o microfone, mas infelizmente não ficam gravados, de toda forma eles servem para explicar o enredo também. O cenário agora é mais aberto, pois se trata de um clima de fazenda incluindo milharais que dão um clima muito tenso nas perseguições.

Uma novidade é que agora existem ataduras ou esparadrapos que servem como kit médico e recuperam sua saúde. As pilhas continuam presentes e agora o uso do microfone faz a bateria baixar bem rápido o que vai exigir uma certa administração das pilhas (boa sorte nas fugas desesperadas quando a bateria acabar e você estiver no escuro).

 

Esse é o pastor Jim Jones, líder de uma seita cristã com a ideologia distorcida. O enredo central do jogo pode ter inspiração na história dele e de sua seita.

Os gráficos estão sensivelmente melhores, a textura está belíssima (isso era algo que de fato era mais fraco no primeiro game) e o enredo continua muito envolvente.

O Jogo continua apelando para o gore em muitos momentos e se você já jogou o primeiro game talvez não se choque tanto com muitas das coisas presentes neste.

 

A história começa com Blake e Lynn Langermann, dois repórteres investigativos que estão indo investigar o caso de assassinato de uma garota no Arizona, quando de repente um clarão ofusca todos e o helicóptero em que eles estão caí. Quando Blake acorda Lynn desapareceu e a poucos metros dali ele encontra o piloto morto, mas não por conta do acidente. Indo mais adiante a coisa só piora, vilas com cultos macabros, corpos de animais, crianças e diversas pessoas que provavelmente cometeram suicídios.

O local tem como líder o padre/profeta Sullivan Knoth, um líder religioso insano que abusa das suas fiéis e faz lavagem cerebral nos membros da seita. Ele acredita que Lynn dará a luz ao anticristo (e Blake nem sabia que ela estava grávida). Ah, sim, ele usava crianças em sacrifícios e você encontra em trechos (inclusive na demo) vários corpos de crianças e bebês.

 

Não acho que uma que da de helicóptero retire sua pele e te pendure amarrado com arame farpado… Só acho

Blake tem momentos de flashback/alucinação em que lembra da época de escola de uma amiga de infância chamada Jéssica, os mistérios quanto isso são revelados no decorrer do jogo.

 

Pessoal, comentem a matéria, digam o que acharam e o que querem de tema para os próximos artigos, eu ando pensando em fazer alguns sobre o enredo completo de alguns jogos e queria saber se vocês gostariam disso e quais jogos seriam. Fico feliz com a participação de vocês.

 

   

Até a próxima e bons sonhos

Facebook Comments

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Blog