Back to Blog

Os clãs: Malkaviano

 

O artigo de hoje é especial, não só por se tratar de um dos clãs que eu mais admiro e me identifico (talvez o que eu mais goste na verdade), mas também por tocar em um assunto da campanha setembro amarelo, bem sem enrolação vamos direto ao ponto.

 

Loucos, sim. Eles se identificam desta forma, aceitam a alcunha com tranquilidade, mas definitivamente não são tolos. O clã Malkaviano é dotado de uma inteligência inigualável e mais do que isso, uma visão privilegiada das coisas, ou melhor da realidade.

 

Como você deve já deve ter compreendido todos os membros dos lunáticos são irremediavelmente loucos de alguma forma. A loucura malkaviana pode assumir muitas formas, da catatonia total até incontroláveis surtos de fúria ou TOC com rituais profundos e manias de organização, alguns desenvolvem depressão, psicose maníaco-depressiva, impulsos de auto aniquilação, bulimia, esquizofrenia, etc. Da mesma forma que a face de um nosferatu não é igualmente feia a de outro a mente de um malkaviano não é igualmente corrompida como a de outro.

 

As disciplinas do clã são ofuscação, auspícios e demência.

 

Ofuscação, o poder de um vampiro de ser invisível para os outros. Não se trata de não te enxergarem, mas sim de não ser percebido. Talvez essa tenha sido uma metáfora para o fato de como loucos muitas vezes são ignorados ou querem que ignorem sua loucura, seja como for os malkavianos fazem uso desta disciplina como ninguém, afinal suas outras duas disciplinas não quebram a ofuscação. Imagine ter sua mente afetada por alguém que você não enxerga?

 

O auspícios é usado por eles em grande escala pois trata justamente de ampliar sua percepção a níveis sobrenaturais permitindo ao vampiro ler pensamentos, auras, impressões em objetos e até viajar no mundo espiritual. O que mais alguém que vive de conhecimento gostaria?

 

Demência. Essa disciplina existe no clã desde seu início mas durante a idade das trevas foi limitada e substituída pelos anciões do clã pela dominação. Ocorria que o uso de demência chamava muita atenção e a dominação foi usada como forma suplementar de espalhar a loucura, porém da década de 90 em diante muitos malkavianos começaram a desenvolvê-la sozinhos. Estranho? Nem tanto se tratando deles. A disciplina Demência permite ao usuário mexer com as emoções de alguém, causar alucinações em um dos sentidos, transmitir sua loucura para outrem, causar um surto de fúria e claro minha favorita, a leitura da realidade. Através do uso de um determinado nível desta disciplina o malkaviano pode descobrir onde se encaixa uma pessoa em determinado plano, qual o destina de um ser ou objeto, entender os padrões e descobrir quem passou ali ou mesmo quem ainda passará.

 

As crianças malkavianas são escolhidas dentre aqueles de mente forte para sustentar o fardo da loucura, os que estão próximos de ficarem loucos ou os que já são loucos, mas no geral não há pré-requisitos para o abraço, na verdade os motivos são tão variados que qualquer um pode ser um malkaviano e só depois você descobre que na verdade fazia parte de um plano tão grande que você não consegue mensurar.

 

“Ria se quiser. Não me importo. Pense que você é muito mais esperto do que o pobre e maldito lunático. Não me importo, mas pense nisso: Você é uma coisa morta, assim como eu. Você morreu e renasceu … desta forma. O que faz com que você e eu sejamos diferentes? Simples… Eu me lembro de tudo o que eu vi quando morri e lembrarei até quando esteja completa e verdadeiramente mono. Você também seria louco…”

A teia da loucura. Talvez aquilo que torne os lunáticos mais assustadores como clã. A teia ou rede da loucura é uma conexão das mentes de todos os malkavianos. Um lunático pode acessar o conhecimento de outro que esteja em outro ponto do planeta, pedidos de socorros podem ser enviados como ecos. Há quem diga que isso é a manifestação de Malkav o antidiluiviano que deu origem ao clã e que supostamente teria morrido. Não importa qual é sua origem, a teia existe desde que o próprio clã nasceu, mas acessá-la é perigoso pois é como navegar na deepweb da loucura, mesmo que você consiga aprender coisas fascinantes, descobrir informações valiosas ou o que quer que seja, você estará sujeito à insanidade, ou seja, ainda que só malkavianos possam acessar a teia, estes aventureiros estarão sujeitos a contraírem novas perturbações podendo ser temporárias ou não. Acessar a rede exige uma habilidade prévia, sendo assim nem todos os lunáticos são capazes de buscar informações específicas ou mandar mensagens através dela, todavia TODOS são capazes de ouvir, alguns com mais clareza que outros.

 

No próximo artigo falarei sobre o Sabá a seita oposta à Camarilla, seu surgimento, seus ideais, seus ritos e crenças.

 

Não quero encerrar por aqui como de costume. Há uma questão que gostaria de levantar aqui, não por uma questão de ativismo nem nada, nem me considero alguém ativista de qualquer causa, mas esse é um tema que ganhou certa relevância nas redes sociais através da campanha do Setembro Amarelo.

Eu pessoalmente achei muito bacana o simples fato de lembrar às pessoas que existem alguns entre nós que sofrem de depressão e tendências suicidas e existem muitas pessoas que romantizam problemas psicológicos. Quero ser sucinto pra falar desses dois pontos.

1 – Depressão é a doença incapacitante que mais afeta trabalhadores hoje em dia. Pessoas largam seus sonhos, largam os estudos, o trabalho, a família e os amigos por não conseguirem mais fazer nada. Talvez seja difícil de acreditar que uma pessoa com a vida relativamente confortável não consigo levantar da cama ou “goste” de ficar isolada, mas vai por mim, eles não gostam de ficar isolados e nem de desistir de tudo. Depressão é um problema no equilíbrio químico do cérebro e com o tempo você simplesmente não sabe mais o que é felicidade, dias se tornam anos e quando se dá conta a vida não tem propósito, logo os pensamentos sobre suicídio começam e não demora para o sofrimento ser tamanho que o indivíduo prefere morrer do que continuar vivendo, pois viver acaba se tornando sinônimo de sofrimento.

Se você suspeita que alguém está de “frescura” mesmo assim não maltrate essa pessoa, encaminhe-a a um profissional que irá diagnosticá-la corretamente, pois se ela tiver depressão o seu julgamento cruel pode ser o empurrão que ela precisava para o suicídio.

 

2 – Não é bonito estar doente. O relacionamento do Coringa com a Harley não é bonito e talvez nem possa ser chamado de abusivo pois se trata de dois inimputáveis pelos olhos da lei, mas deixando essa discussão de lado, o ponto é que ser louco ou ter uma doença emocional ou psíquica, seja lá como você queira chamar, é um sofrimento diário, é matar você mesmo todos os dias pois é contra você que terá que lutar todo o dia, isso pode te tornar forte sobre certo aspecto, mas a vida não é uma RPG, você não ganha superpoderes, você só sofre. Sofre preconceito, sofre com a doença, sofre com o abandono daqueles que diziam te amar, etc.

 

Se serve como dica de interpretação sobre malkavianos, eles não são cópias do Coringa, alguns podem até ser, mas a maioria é discreta e sofre. Eles são vistos como loucos imprestáveis pela maioria dos clãs e passam boa parte de suas existências resistindo aos impulsos da loucura. Ser malkaviano não é legal, ser doente não é legal.

 

Antes que eu me esqueça, sei que muitos tem ótimas intenções mas por favor, não compartilhem seus telefones em redes sociais para que pessoas doentes falem com vocês. Essas pessoas precisam de atendimento médico de verdade, de indivíduos minimamente treinados. Ajudar alguém com depressão significa estar disponível 24h por dia, você precisa ter uma mente muito firme e não poderá desistir depois que começou a ajudar, por isso tome cuidado e encaminhe uma pessoa com os sintomas para um especialista.    

Boa noite Neófito.

Facebook Comments

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Blog