Back to Blog

Opinião: Sobre o rito anual e sobre não-coincidências

Saudações, leitores!

Hoje trago para vocês um relato de cunho pessoal, mas que eu acredito que vão apreciar e com o qual talvez se identifiquem em partes ou em um todo.

No último sábado (14) eu estive na 13ª Convenção de Bruxas e Magos em Paranapiacaba, promovido pela Universidade Holística Casa de Bruxa, afim de participar do Rito Anual da Cosmovisão Vampyrica, conduzido por Lord A:. e também pela Srta Xendra Sahjaza, no qual também celebramos o 10º aniversário de fundação e atividade do Círculo Strigoi.

Quase no final da tarde, ao chegar à cidade que fica a poucos minutos de Rio Grande da Serra, tive a impressão de que estava chegando a alguma outra estação da minha vida, um lugar que me parecia bastante familiar, ainda que eu tenha possivelmente estado ali uma única vez quando eu não tinha idade o suficiente para sequer saber onde eu estava e ainda assim apenas por algumas poucas horas, na casa de parentes ou conhecidos de um dos meus familiares diretos. Então, novamente eu estava ali e nunca me senti tão bem subindo e descendo ruas ainda cobertas por paralelepípedos, em meio a moradores e turistas que enchiam as ruas, algumas vezes na mais completa escuridão devido à falta de iluminação pública em diversas vias, o que de forma alguma poderia inviabilizar o evento. Pelo contrário.

locobreque

Após dar uma volta pela Vila dos Ingleses, gravei uma participação especial em um vídeo dos meus amigos do projeto Terror em Engelsblüt e então seguimos para o Locobrek, um pátio coberto por um gramado onde a carcaça do antigo locobreque se encontra há muitos anos, totalmente avariada pelas intempéries do local, mas ainda carregando um bocado de memórias de outros tempos, quando ainda estava na ativa. Este foi outro lugar onde eu quis estar. Diversas vezes afastei-me do meu grupo de amigos para ir para perto do que sobrou daquela belíssima máquina que fez tantas viagens, subindo e descendo a serra. Confesso que eu queria mesmo era subir nela, mas como já era noite, não havia muita iluminação e eu sequer estava com roupas adequadas que não se enganchariam em algum lugar, eu preferi deixar esta aventura para outra oportunidade.

No mais, o rito estava para começar e era uma hora para acalmar os ânimos e vibrar em outra sintonia (ou sintonizar em outra vibe). A aventura agora seria outra e era bom estar preparada para o que estava por vir.

Não se trata de puxa-saquismo dizer que foi um dos mais verdadeiros e poderosos ritos que já tive a oportunidade de presenciar. Com todo o seu mistério, com toda a sua harmonia, este rito conseguiu me alcançar de uma forma bastante singular e particular. Mas também, como poderia ser diferente? Bom, eu sinto muito, mas eu não consigo mais encontrar palavras para descrever o que vi, ouvi e principalmente, o que senti. Talvez por ser algo muito pessoal, é importante manter certo sigilo.

Mas por tudo que vem acontecendo e tudo o que aconteceu após a noite do último sábado, eu senti vontade de compartilhar uma reflexão com vocês. E sim, pensei muito antes de o fazer, porque desta vez o assunto não é muito trivial.

Talvez você, meu leitor, concorde ou não que nem tudo aconteça por acaso.

Eu não posso acreditar que tudo seja uma coincidência, porque tenho provas cabais de que comigo e como algumas outras pessoas que conheço ou já conheci não é assim que funciona. A minha história pessoal e as minhas vivências, me impedem de acreditar que tudo é obra do acaso. E esta mesma história me permite dizer que temos que ter cuidado com os prejulgamentos que fazemos de pessoas, coisas ou lugares que não conhecemos, seja dentro ou fora desta via escarlate. Não há porque nos deixarmos nos levar por prejulgamentos tecidos por outra pessoa, seja ela quem for, seja sobre o que for. Não perca tempo. Conheça e depois faça seus julgamentos de forma consciente. Seja curioso, desconfie de quem fala sem conhecer, dê a cara à tapa e atire-se ao mar do infinito. A vida é sua, o sangue é seu, o tempo é seu, são preciosos, não os desperdice.

Ouça a si mesmo, ouça o seu coração, ouça o seu antiquíssimo e eu tenho certeza que sua jornada vai se tornar muito mais interessante e bem-sucedida.

Sem mais, fica aqui meu desejo que tenham uma semana bastante próspera.

Até a próxima.


 

Facebook Comments

Share this post

Comment (1)

  • br10pinheiro Reply

    Foi algo místico a noite do dia 13.

    maio 17, 2016 at 11:55 pm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Blog