O nascimento do clã Giovanni

Back to Blog

O nascimento do clã Giovanni

Clã é uma forma arcaica para se referir à família, ou seja, pressupõe consanguinidade dos membros e aqueles que não compartilham do sangue são chamados agregados, sim, aquele cunhado chato que esvazia sua geladeira no fim de semana é um agregado. Destacado este conceito, podemos dizer que o mais novo dos clãs cainitas é o que ironicamente mais leva ao pé da letra este conceito.

Na idade média os vampiros que lidavam com os espíritos não eram os Giovanni, mas sim um clã de nome mais genérico chamado Capadócio. Um clã de eruditos fascinado pela vida após a morte e que entre muitas coisas coletavam qualquer conhecimento místico acerca da morte ou a vida além dela.

No século XI é chegado ao conhecimento do próprio Capadócio (Antediluviano do clã) que uma certa família de mercadores venezianos detinha um conhecimento sobre “nigrimancia” muito interessante, eles eram praticantes ávidos e tinham uma aparição assombrosamente poderosa como sua padroeira. Não preciso dizer que Capadócio ficou com olhos brilhando para trazer o influente patriarca dessa tal “famiglia” Giovanni para os seus.

Augustos era seu nome, o famigerado patriarca que enchia os olhos de Capadócio. Só o que o Antediluviano não sabia é que Augustos não era um mortal ignorante sobre o mundo cianita. É verdade que as promessas de vida, juventude e saúde eternas o cativaram, mas ele tratou de saber dos ônus que tais bônus lhe trariam, chegou até a conversar com alguns Ventrue e Toreadores germânicos justamente para lhes dar o que Capadócio queria, uma cria com o poder de um matusalém e o conhecimento mágico de sua família. Augustos sentou-se com os anciões Giovanni (que nessa época só eram pessoas maduras e não vampiros com centenas de anos) e ficou acordado então que aceitariam a oferta do vampiro. Eles sabiam que não poderiam gerar mais crianças (humanas) e que dali em diante dependeriam de sangue para viver, então tudo foi estudado e devidamente calculado, sendo Augustos a ser abraçado e consequentemente alguns outros membros, mas boa parte da “famiglia” permaneceria humana para dar continuidade à linhagem e servir de apoio. Acordo feito e com a benção do “Dis Pater” tudo seria iniciado.

 

Augustos Giovanni

Foi no templo da montanha Erciyes que o destino dos Giovanni foi selado junto à Capadócio. Constância e Japhet não concordaram com a decisão do seu senhor em abraçar o proeminente Augustos e meio ao rito de criação desviaram parte do sangue de Capadócio, que estava em uma taça que fora derramada para gerar Augustos, e realizaram um ritual que manteria um certo controle sobre Capadócio e Augustos. Há quem diga que esse ritual na realidade foi o que gerou a maldição Giovanni da dor excruciante no beijo. Diferente dos outros vampiros, quando um Giovanni se alimenta a vítima sente uma dor brutal que seria semelhante a dor que Constância, Japhet e outros tantos Capadócios sentiram quando o seu Ancião foi contra eles e abraçou Augustos.

 

Séculos se passaram desde o abraço e a famiglia expandiu seus rendimentos com as cruzadas ao mesmo tempo que ampliou sua influência sobre a igreja Católica, ainda que não pudesse ser tão profunda como a dos Ventrue e La sombra, mas conseguiram manter a parte mortal da Igreja simpática à família que se demonstrava tão devota.

Foi em 1444 que o grande golpe foi dado. Augustos diablerizou Capadócio e dividiu o clã em dois. De um lado a “famiglia” e os membros que apoiaram o levante, do outro estavam os Capadócios fiéis ao Antediluviano que ficaram atônitos demais para reagir ou mesmo perceber que a traição vinha sorrateira.

A Camarilla na época engatinhava e por mais que não concordasse com o que houve não poderia reprimir diretamente com toda a força o recém nascido clã Giovanni, já que eles tinham que cuidar do Sabá que havia nascido das revoltas anarquistas contra os anciões (e não queriam que os Giovanni engrossacem as fileiras Sabá), no fim a Camarilla fechou os olhos para o genocídio que viria.


Centenas de Giovannis caçaram outras centenas de Capadócios, seus refúgio foram invadidos e eles foram diablerizados ou encontraram a morte final nas melhores das circunstâncias.

Um acordou ficou firmado com a Camarilla. Ela não interferiria em um “assunto interno do clã” e por outro lado os Giovanni não poderiam tomar partido na Jyhad. Dito e feito. Nasceu por meio de acordos escusos e se consolidou por conta deles. Ainda existem Capadócios? Provavelmente, afinal há relatos de ninhadas inteiras que fugiram para a umbra , tal como é possível que um ou outro tenha entrado em torpor antes do genocídio ou durante, sendo muito difícil detectar, mas se eles acordarem a “famiglia” estará pronta para acabar o que começou.
boa noite, neófito.

Facebook Comments

Share this post

Comments (2)

  • sex Reply

    We’re a group of volunteers and opening a new scheme in our community.
    Your web site provided us with valuable info to work on. You have done an impressive job and
    our entire community will be thankful to you.

    março 27, 2017 at 3:39 am
    • dylan pegoretti Reply

      We are realy glad in know this.
      Please continue suporting us.

      março 27, 2017 at 5:47 pm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Blog