O diário de Nero Bertoli Parte 3

Back to Blog

O diário de Nero Bertoli Parte 3

27/08/2016

Nossa, acordei com uma ressaca terrível, mas minha bebedeira rendeu belos versos.
Passarei a limpo essa poesia, tomarei um banho e rumarei ao Fasano. Usarei meu melhor chapéu, um colete preto, gravata preta, camisa branca, calça social preta e sapatos igualmente pretos. Esse estilo Coco Chanel nunca me fez passar vergonha.
Questão interessante, não encontrei nada na internet sobre meu anfitrião, bem, nem todos nós somos relevantes, mas isso é um tanto estranho, mas irei mesmo assim. Na pior das hipóteses darei de cara na porta.

Minha nossa, fui até a cozinha e perto do lixo há DUAS GARRAFAS DE VINHO! Minha mãe vai me matar! Hahahaha.

Sonhei com algo estranho esta noite. Eu matava alguns garoto em uma praia deserta a noite, usei de tudo, de facas e armas de fogo até minhas próprias mãos. Eu os enterrei próximo de uma cabana que havia na mesma praia. Me lembro do sentimento forte de vergonha misturado com satisfação. Era como se eu detestasse aqueles garotos, mas eu não os conhecia. Para Freud sonhos são uma manifestação de desejos reprimidos em nosso subconsciente, entendo que o desejo de matar não é sinal de insanidade, mas confesso que o fato de não haver um motivo do qual me lembre causa um certo desconforto, principalmente pela cena ainda nítida em minha mente em que descarrego uma metralhadora na cabeça de um deles.

Droga, estou atrasado.

Facebook Comments

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Blog